General Mourão é afastado do Exército após elogiar Bolsonaro e criticar Temer

Por: Bruno Tomé Escritor da News365
Foi confirmado que afastamento se deu por críticas contra o governo de Michel Temer
Política 10Dezembro2017 13 h 19min

Antonio Hamilton Mourão Martins é o mesmo que fez declarações sobre possibilidade de intervenção militar

Foi confirmado que afastamento se deu por críticas contra o governo de Michel Temer
Foi confirmado que afastamento se deu por críticas contra o governo de Michel Temer

General Mourão é afastado do Exército após elogiar Bolsonaro e criticar Temer

Antonio Hamilton Mourão Martins é o mesmo que fez declarações sobre possibilidade de intervenção militar

Política 10Dezembro2017 13 h 19min

Na última quinta-feira (8), o general Antônio Hamilton Mourão Martins deu uma palestra em Brasília. Em determinado momento, um dos chefes do Exército brasileiro afirmou que o governo de Michel Temer está sendo conduzido aos trancos e barrancos e que a única maneira que se mantém no controle é por causa de um "balcão de negócios". O general era chefe da Secretaria de Economia e Finanças do Exército e foi afastado pelo próprio presidente brasileiro, que é chefe hierárquico de Mourão. Em setembro, o mesmo general já havia afirmando que poderia sim acontecer uma intervenção militar, caso a situação política não melhorasse. 

Durante a palestra, o general também mostrou simpatia a candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para a presidência da República. Em diversas ocasiões, o mesmo comandante já havia citado que a possibilidade de uma intervenção militar não pode ser descartada, ainda mais com todos os escândalos descobertos diariamente pela mídte;dia nacional. No momento mais crítico. Mourão afirmou que o Brasil está vivendo uma "Sarneyzação", em que Michel Temer faz, com tudo que pode, negócios para se manter no poder. Vale lembrar que o atual presidente foi acusado por corrupção na Lava-Jato, mas se mantém no poder por causa de manobras que faz com a Câmara dos Deputados, que não aprovam o processo de impeachment. 

A palestra foi intitulada "Uma visão daquilo que nos cerca", em que Mourão prometeu falar tudo que acha sobre o atual cenário político. Em um dos trechos, o general também citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para o comandante, a justiça irá barrar a candidatura de Lula em 2018. 

Para os convidados, Mourão voltou a defender a intervenção militar. Mas, destacou que só deve ser pensado nisso caso o "caos seja instaurado". O general também afirmou que se for escolhido por ter uma força pacificadora para resolver o cenário nacional, tudo deve ser feito dentro da legalidade. Mourão ainda relatou que, por enquanto, o melhor que os brasileiros podem fazer é torcer que as instituições jurídicas conseguiam controlar a situação. 

Na última quinta-feira (8), o general Antônio Hamilton Mourão Martins deu uma palestra em Brasília. Em determinado momento, um dos chefes do Exército brasileiro afirmou que o governo de Michel Temer está sendo conduzido aos trancos e barrancos e que a única maneira que se mantém no controle é por causa de um "balcão de negócios". O general era chefe da Secretaria de Economia e Finanças do Exército e foi afastado pelo próprio presidente brasileiro, que é chefe hierárquico de Mourão. Em setembro, o mesmo general já havia afirmando que poderia sim acontecer uma intervenção militar, caso a situação política não melhorasse. 

Durante a palestra, o general também mostrou simpatia a candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para a presidência da República. Em diversas ocasiões, o mesmo comandante já havia citado que a possibilidade de uma intervenção militar não pode ser descartada, ainda mais com todos os escândalos descobertos diariamente pela mídia nacional. No momento mais crítico. Mourão afirmou que o Brasil está vivendo uma "Sarneyzação", em que Michel Temer faz, com tudo que pode, negócios para se manter no poder. Vale lembrar que o atual presidente foi acusado por corrupção na Lava-Jato, mas se mantém no poder por causa de manobras que faz com a Câmara dos Deputados, que não aprovam o processo de impeachment. 

A palestra foi intitulada "Uma visão daquilo que nos cerca", em que Mourão prometeu falar tudo que acha sobre o atual cenário político. Em um dos trechos, o general também citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para o comandante, a justiça irá barrar a candidatura de Lula em 2018. 


Fontes:




© 2017, News 365 todos os direitos reservados.